sexta-feira, 1 de maio de 2009

O papel do professor particular

Coluna de abril do Jornal Nirvana:

Achei a época oportuna para falar sobre esta figura tão solicitada somente no final do ano, ou, com sorte, após os resultados das provas bimestrais.
Está claro que o professor particular não faz milagres. Muitos deles se queixam dessa procura tardia, porque sentem que o aluno poderia aprender melhor se tivesse mais tempo e menos pressão. Como colocar alguma coisa na cabeça de uma criança ou adolescente, que já vem sem os conhecimentos anteriores necessários para aquela matéria (e quanta matéria!), muitas vezes com baixa autoestima, preocupado com a prova do dia seguinte, ou até indiferente, camuflando o medo de mais um fracasso? Nestas condições tão adversas, a aula particular até funcionaria se a dúvida fosse pontual, ou se na verdade faltasse apenas organizar ou se sentir mais seguro diante do conhecimento já adquirido da escola.
Mas nem sempre é assim. Muitos alunos se conformam em não entender algumas palavras, não perguntam, não vão ao dicionário. Consideram a matéria algo fora de suas vidas e quanto mais rápido se livrarem dela, melhor. Não sentem que são eles os responsáveis por sua própria aprendizagem. É como se engolissem a matéria, para despejá-la na prova.
No entanto, o que se espera da educação desses novos tempos, onde a informação é fácil e farta, é que ele seja capaz de selecionar o que importa, questionar, fazer ligações com outros assuntos, aplicar na sua vida e produzir novos conhecimentos.
O professor particular é aquele que está ao lado do aluno que, por qualquer motivo, precisa de mais tempo, mais atenção, um tipo de explicação diferente, uma orientação. Não há problema nenhum nisso: cada um tem seu jeito e seu momento de aprender. O verdadeiro educador não quer que o aluno dependa dele, e sim quer que ele aprenda a aprender, para que caminhe com suas próprias pernas. Por isso é importante avaliar o momento adequado de se contratar um auxílio necessário e valioso para uma aprendizagem tranquila. Talvez o momento certo seja agora.

Um comentário:

decio disse...

´Me chamo Décio, achei muito interessante o tema sobre o papel do professor particular, entendo também que esta a realidade do verdadeiro profissional como educador.